Ativação das Montanhas

Sagradas do Rio de Janeiro

 

Quem se depara pela primeira vez com o conceito de ativação de montanhas, pode tanto se encantar de imediato por

ter a resposta de muitas das suas aspirações interiores como se ver cheio de dúvidas. Neste primeiro contato, muitas reações

podem ser esperadas e cada uma terá muito a nos ensinar.

Uma delas é a rejeição, pois muitas coisas podem vir de encontro com as crenças, valores e a própria cultura de quem está recebendo as informações. 

Uma outra reação é a curiosidade, o desejo de saber mais sobre esta experiência mágica: onde isso pode levar? Qual a lógica disso tudo? Por que ativar montanhas? A pessoa passa a ser movida por seu próprio ser para se entregar e compreender o processo, porque se identifica com ele. Se você chegou até aqui, pode ser uma destas pessoas. Então, a partir de agora, abra o seu coração, liberte-se de seus julgamentos e preconcepções e vamos conhecer um pouco do que aconteceu durante o ano de 2014 no Rio de Janeiro, o Segundo Ano da Nova Terra e da ascensão da humanidade.

Primeiramente é necessário que você entenda que ativar é experimentar, praticar, sentir, viver, compartilhar. Ativação pressupõe ação e, por isso, nenhum texto, teoria ou explicação vai conseguir alcançar a totalidade do que é este fenômeno. Pois a era da antiga energia, dogmas, doutrinas, teorias, filosofias e pensamentos, transmuta-se e começa a dar espaço para a era da Nova Energia, da vivência, da prática de tudo que conhecíamos através de nossos registros e que está vivo em nossos corações.

Por isso, considere este texto apenas como um ponto de partida para o início de uma jornada, que tem como destino você mesmo. Pois, ao final de tudo, o que você vai encontrar é quem você realmente é, e garantimos que você é muito mais surpreendente do que imagina.

Depoimentos

 

Preparação

 

PreparaATIVOS

 

Reuniões preparativas

A primera reunião de preparação das ativações aconteceu no dia 15/01/2014 no Atelier Sustentável ÁS, em Santa Tereza. Foram cinco reuniões até a primeira ativação, no Corcovado. Durante as reuniões foran realizadas meditações, celebrações e eram feitos esclarecimentos sobre cada ponto a ser ativado, como faríamos e por quê. Reuniões sempre muito intuitivas,  guiadas pela terapeuta e canalizadora Nanda da Paz, onde cada um contribuía como se sentia capacitado. As reuniões foram acontecendo sempre em locais diferentes de acordo com o ponto que sería ativado, para que já estívessemos próximos do local. Neste processo os corações foram se abrindo, e como havia sido informado, por Nanda, cada um já foi se ativando e entrando na frequência para os trabalhos que aconteceriam nos próximos meses, com sonhos, sinais, além de muita transformação interna e coletiva. 

 

A preparação para cada ativação inclui algumas práticas básicas e muito importantes: beber bastante água para limpar o organismo e o corpo emocional, não utilizar no dia do trabalho nenhum tipo de substância que altere o estado de consciência para que todos estejam bem presentes e conscientes de suas ações, não se identificar com sentimentos ou pensamentos que surgem muitas vezes para desviar o foco, tendo atenção consigo mesmo e com o próximo, ativar os elétrons que no caso era o exercício da caminhada que faríamos até o ponto da ativação (desta forma com os elétrons de nosso corpo ativados, passaríamos essa informação para o DNA) e claro, celebrar para despertar a criança interior e sutilizar a energia.

 

PS: nas imagens você verá duas fotos de nuvens em formato de naves, este fenômeno ocorreu em seguida da nossa primeira reunião e foi noticiado nos jornais, um belo sinal da missão que se seguia.

Corcovado

 

Abertura - Corcovado - O falo (Chacra Raiz)

Sábado, 15 de fevereiro de 2014; Lua Cheia em Leão, Sol em Aquário.

Seli 9 da Lua Galáctica do Falcão, Anel da Semente Galáctica Amarela;

Símbolo máximo da nossa cidade, uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno, o Corcovado nos presenteou com toda beleza que a natureza ancestral pode nos oferecer. A multiplicidade era o traço mais marcante do grupo, que mal se conhecia e que resolveu aderir àquela missão. Neste dia éramos 20 pessoas, e tínhamos no coração a respiração de embelezar o mundo através das formas diversas de Ser Arte. Apesar da floresta ao redor ser mata terciária*, curiosamente foi nesta trilha em que nos deparamos com as árvores mais antigas dos nossos percursos. Demos presentes a elas, as abraçamos, cantamos para os elementos. E compartilhamos uma iguaria deliciosa, que tornou-se alimentação básica dos AtivaCores: batata doce com melado de cana, enraizamento consistente e energia com doçura.

A tônica do dia foi a bênção dos ancestrais, que estiveram presentes de diversas formas, nos apontando os caminhos do futuro, que só podem ser vistos com os olhos do presente. O patriarcado e a nova era marcados pelo Sol e pela Lua, nos levaram a um exercício prazeroso de união e reconhecimento. Uma runa nos foi dada de presente, como mensagem e selo àquela Unidade* que ali dava seus primeiros passos: Inguz, que simboliza os processos de transformação, morte e renascimento, a força criadora. 

 

 

 

"Gratidão Nanda pelas fotos e pelo projeto, hoje foi lindíssimo, lindíssimo, especialíssimo. Gratíssimo!"

                                                                                                                                (Gabriel Delgado)

 

"Gratidão por ter participado desse momento tão forte e amoroso."

                                                                                                       (Andrea Luz)

 

"Ontem tive umas das melhores noites de sono dos últimos tempos... O espírito em plena paz e cansaço. Um sorriso frouxo no rosto, o corpo fresco e doído, a mente calma e alegre. Gratidão meus anjos! A vida nunca foi tão doce..."

                                                                                                                                (Pedro Poema)

 

 

Pão de açúcar
CARNAVAL – ILHA DA TRINDADE, OS PÉS (Chakra Básico)

Sábado, 1º de março de 2014; Lua Nova em Peixes, Sol em Peixes.

Seli 23 da Lua Galáctica do Falcão, Anel da Semente Galáctica Amarela;

Kin 122 – Vento Harmônico Branco (“Através de mim se expressam ideias calcadas no poder do coração”).

Na primeira manhã de carnaval, deixamos nossas crianças interiores brincarem à vontade, cumprindo uma verdadeira gincana na Ilha da Trindade. A Trindade é uma ilha atualmente aterrada, e é composta por três morros: Urca, Pão de Açúcar e Cara-de-Cão.

Era aniversário da cidade, e nossa missão era ativar os pés do gigante – órgão de impacto astral do signo de Peixes, duplo regente daquele dia e da cidade. Peixes, o último e mais velho dos signos, nos fez virar criança novamente, quando circundamos em pequenos grupos, as bases dos três morros plantando cristais, em direção aos pontos cardeais. Outro destacamento, ao mesmo tempo, seguiu em direção ao topo do maior e mais famoso do trio: o Pão de Açúcar. Ao meio dia, a Unidade* se conectou em meditação, na base da ilha, no topo da Urca e no Pão de Açúcar, ativando e se ativando com as pedras e nossos cristais.

A festa de aniversário foi logo em seguida, no jardim da Praia Vermelha, com um pic-nic de amor e felicidade. Flutuamos nas nuvens, e nos sinais que vinham dos céus!

 

 

"Ahooo familia que a terra chama pelos seu filhos, e os filhos da luz respondem prontos a fazer o que tem que ser feito!"

                                                                                                                                                                                      (Sofu Chi, Sophia, via FB)

 

"Parecem crianças! a alegria brilha!"

                                            (Miguel Cipriano Choni, via FB)

 

"Mais um trabalho maravilhoso! Gratidãooo!! Beijo nos coraçõezinhos de todos =* <3"

                                                                                                                          (Elenir Mello)

Dois Irmãos
A CURA – DOIS IRMÃOS, OS SEIOS (Chakra Esplêncio)

Domingo, 16 de março de 2014; Lua Cheia em Virgem, Sol em Peixes

Gama 10 da Lua Solar do Jaguar, Anel da Semente Galáctica Amarela;

Kin 137 – Terra Ressonante Vermelha (“Para evoluir e sincronizar-me, devo pensar, sentir e decidir por mim”).

Esse dia foi um e dois, especialmente. Tivemos que lidar com as dualidades o tempo inteiro, e consumirmo-las para gerar navegar. Começamos ainda na noite anterior, meditando em nossas casas com nossas mandalas, nos conectando através do espelho da Lua, e nos preparando para a manhã seguinte. A noite era clara e fresca, mas o dia foi pura luminosidade e calor! Na desafiante subida do morro Dois Irmãos, a todo tempo o numero dois se repetia: namorados, a garota Johanna estava doente, mas o garoto Lucas era puro excesso de energia; acompanhavam-nos o pai e a mãe da garota, os AtivaCores João e Giselma; a paisagem era belíssima, mas o ambiente era muito mal tratado, as árvores estavam secas e careciam de energia, a erosão era muito forte; no fim da trilha, a mais causticante de todas, tivemos que dividir o grupo ao meio, para que a mandala estivesse no topo da pedra ao meio dia. O Sol e a Lua, no eixo Peixes-Virgem, potencializaram a cura dos organismos através da sublimação e transcendência. O calor derreteu nossos medos, nossas doenças e nossos corpos, para elevar nossas almas!

Era dia do Gaura Purnima, a lua do Avatar Dourado na tradição Vaishinava e cantando o maha mantra (Hare-Krishna), saudamos um novo ciclo dourado de Sol que nasceria em poucos dias, com a chegada do equinócio de Outono.

 

 

"Ahooo, guerreiros do Arco Iris. Muito Saravá."

                                           (Alexandrëa Constatino, via FB)

 

"Que boniteza!"

              (Aline Nabisi)

 

Pico da Tijuca
NO TOPO DO MUNDO – PICO DA TIJUCA, O UMBIGO (Chakra do Plexo Solar)

Domingo, 30 de março de 2014; Lua Nova em Áries, Sol em Áries.

Gama 24 da Lua Solar do Jaguar, Anel da Semente Galáctica Amarela;

Kin 151 – Macaco Galáctico Azul [PORTAL DE ATIVAÇÃO GALÁCTICA]* (“Rompo as estruturas mentais e poderei embelezar meus pensamentos”).

Mais um dia de ativação, agora subimos o ponto mais alto da cidade do Rio de Janeiro: o Pico da Tijuca. Trabalhamos em silêncio durante toda a subida, para que pudéssemos ouvir nossos egos, e assim, abri-los para que fossem purificados de diluídos no hólon planetário*, pela verdade do lema : “Eu sou outro você”. Sol e Lua em conjunção em Áries davam a tônica de renovação das identidades, questionamento e purificação do eu-cidadão que reflete o eu-cidade.

Nesse processo de auto-(re)conhecimento, e (re)conhecimento do outro, tivemos a clareza definitiva do que há muito já se falava: nós estávamos ativando a nós mesmos! Nós somos o gigante deitado na borda da cidade, esperando eternamente a hora de levantar, refazendo dualidades na inconsciência. Com as ativações esse quadro começa a mudar, e vamos ao pouco reintegrando as energias mal qualificadas, que imediatamente voltam a fluir no rio cósmico de seus propósitos. Nosso trabalho já estava feito nas outras dimensões por mãos e poderes que nem imaginamos, mas aqui na terceira dimensão (do tempo-espaço linear), era através de nossos corpos que a corrente se daria. Ativar a cidade é ativar nossos corpos, nós somos a cidade, ela está em nós.

Neste dia, vimos pela primeira vez a esfinge da Gávea de frente. Ela estava longe, já anunciando que seu dia estava próximo, mas que ainda tínhamos um longo caminho pela frente, de florestas, campos, morros, vales... e até mares!

 

"Nossa mandala cósmica está cada dia mais linda !!!"

                                                                        (Ticiano Diógenes)

 

"Eu e pedro não estivemos fisicamente nesta vez, mas nos conectamos com vocês ao meio-dia."

                                                                                                                                      (Aline Nabisi)

 

 

Pedra
Bonita

 

AMOR, AMOR, AMOR – PEDRA BONITA, O CORAÇÃO (Chrakra Cardíaco)

Domingo, 6 de abril de 2014; Lua Crescente em Câncer, Sol em Áries.

Gama 3 da Lua Planetária do Cachorro, Anel da Semente Galáctica Amarela;

Kin 158 – Espelho Lunar Branco (“Observo-me no Espelho da Vida, embora seja um desafio sair da obscuridade”).

Com a Lua em seu domicílio, e o Sol dando toda força de ser, o dia de ativar o coração da cidade não poderia ter sido menos lindo. A trilha da Pedra Bonita foi a mais tranquila de todas, como já era de se esperar, não apenas pela caminhada leve como pela tônica daquele lugar: o coração.

Na entrada encontramos uma cachorrinha filhote abandonada, que estava presa na guarita do parque. No caminho, sentamos para meditar, e depois seguimos até o platô final. A energia lá em cima era a mais sutil e brilhante possível. As nuvens desciam até o nosso encontro, correndo com a gente, escondendo de leve o Sol, e dançando uma ciranda que envolvia a todos. Durante a meditação e celebração, chegaram muitas informações novas para a gente, e foi neste dia que os véus do sentido desta missão começaram a se abrir para a Unidade*.

Do platô da Pedra Bonita, o nosso coração-gigante, pudemos ver o vale que havia entre ela e a Pedra da Gávea, com sua esfinge hierática nos olhando frontalmente. A Nanda e seu tambor mágico entraram em comunicação com os guardiões estelares que guardavam as portas da cidade intraterrena de Magave. Eles se identificaram como seres de quinta dimensão com consciência em sétima dimensão. Revelaram que estavam guardando Magave, cidade atlante que está debaixo da Cidade das Águas Verdes (como se referiam ao Rio de Janeiro). Eles nos saudavam e nos honravam pelo nosso serviço de amor, que vinha sendo feito por gerações e gerações, e que finalmente havia alcançado a leveza e a assertividade que necessitavam. As ativações das montanhas começavam a mover, segundo eles, as consciências rebaixadas da cidade, e isso faria com que os seres aprisionados no templo de Magave, seres de quarta dimensão com consciência em segunda dimensão, pudessem despertar para suas missões, e parassem de alimentar energias mal qualificadas por causa da inconsciência. O trabalho então não era de combater a inconsciência, nem lutar contra nada; era apenas o de integrar pelo amor, para que todas os seres pudessem lembrar e (re)conhecer suas assinaturas galácticas, indo em direção de suas missões planetárias em Gaia!

Nossos olhinhos só não brilharam mais com essas informações, do que quando descemos da pedra cheios de amores e demos de cara com a cadelinha ainda presa na guarita do parque. E claro que nós a adotamos! O nome da nossa guardiã querida, comandante do coração, é Terra. Ela hoje mora no sítio de uma de nossas irmãs do arco íris, e é muito feliz.

 

"Energia da cura.gratidao guerreiros"

                                               (Débora Rocha, via FB)

 

"Que lindo!!"

            (Clara Facuri)

 

"Deslumbrante!!"

                 (Andrea Luz)

 

"Quanta saudade de vocês!!"

                                             (Andrea Luz)

Merkabah

 

ANCORAMOS! – PONTO 1 DO MERKABAH

Sábado, 26 de abril de 2014; Lua Nova em Touro, Sol em Touro

Seli 23 da Lua Planetária do Cachorro; Anel da Semente Galáctica Amarela;

Kin 178 – Espelho Solar Branco (“Esta é a oportunidade para ver a verdade. Olho-me no Espelho e contemplo partes não muito claras em mim”).

Um amigo de um dos AtivaCores falou “puxa, que trabalho lindo esse que vocês estão fazendo! Tem que levar uma criança com vocês.”, e antes que o AtivaCor pudesse contar aos outros o acontecido, o menino Kayki foi ao nosso encontro naquela manhã fria de sábado. Ele é afilhado do AtivaCor Rama, e foi convidado a participar daquele dia de atividades. Como havia chovido muito durante a semana, uma de nossas regras de segurança [com chuva, sem trilha!] foi acionada. Sincronicamente, em meditação, Nanda recebeu a informação que nós deveríamos plantar 21 cristais na base da Pedra da Gávea. Além disso, que nesse dia nós deveríamos apenas meditar em Unidade*, para que recebêssemos as informações necessárias para o próximo passo – a garganta do Gigante.

Decidimos começar a trilha da Pedra da Gávea, pensando em meditar no caminho para saber mais. Mal começamos a caminhada, o menino Kayki apontou para um lindo jardim que estava oculto entre as heras, e correu para lá. Ficamos encantados com o lugarzinho aprazível que a criança tinha achado, e resolvemos meditar ali mesmo. Conectamos nossos diamantes azuis com a rede cristalina planetária, e recebemos dos nossos aspectos lemurianos diversas informações, que a princípio não tinham nada a ver umas com as outras. Mas logo juntamos o quebra-cabeça, pois tudo estava perfeitamente encadeado: deveríamos desenhar o Merkabah* na base da Pedra da Gávea com 12 pontos, que marcariam os nodos de energia; e os 9 cristais restantes deveriam ser plantados nas ilhas que ancoram a energia da esfinge, coroando a Cabeça do Gigante. Perfeitamente 21 cristais.

E, onde estariam esses pontos? Seria possível chegarmos até eles? E como faríamos para navegarmos até as ilhas? Para que pudéssemos ter calma e clareza, pedimos ao nosso guia-mirim para plantar um cristal onde estávamos, para que termos um ponto de referência. Sobre o cristal, sementes, para que a marca física fosse o florescimento; e a marca digital foi o AtivaCor João quem fez, no seu famoso – e fundamental! – GPS. Fomos então observar a pedra. Caminhamos em torno da base, e nos sentamos na saída do Quebra-mar, para olhar e ouvir o que a Cabeça tinha a nos dizer. Essa tarde não teve batata doce com melado, mas teve pizza e foi delicioso igual!

 

 

"Lindezas na foto, Aline se rachando de rir, arco íris no fundo, céu metade claro, metade nublado... Que foto!!" 

                                                                                                                                                                 (Igor Citrangulo da Paz, via FB)

 

"hahahahaha  Felicidade!! refestança do Amor!!!"

                                                            (Ticiano Diógenes)

 

"felicidade pós ativação!"

                                           (Elenir Mello)

As 9 Ilhas

 

O último ponto do Merkaba e as 9 ilhas

Data, Kine afins

Título do Projeto |02

As ilhas são os portais que davam acesso aos templos etéreos da Cidade Intra Terrena de Magave. São 9 no total e ficam em torno da Pedra da Gavea, no mar. Todos estes pontos foram ativados no mesmo dia. Um irmão que é canalizador e acompanhava o grupo das ativações desde o princípio, xxxx que é marinheiro aposentado, foi quem conseguiu uma autorização para que fizêssemos este trabalho. Com um grupo pequeno, entramos no mar com os 11 cristais que ativariam os dois potos que faltavam para o Merkabah e as 9 ilhas. Um dia mágico com certeza. Quando colocamos os dois últimos pontos do Merkivah, todos os cristais vibraram, uma resposta da rede cristalina ao trabalho que se realizava. Foi um desafio para todos ver o mar que estava calma ficar revolto após a colocação do cristal da quinta ilha. Mas continuamos, pois tinham mais quatro ilhas pela frente, no meio de um mar revolto colocamos os 9 cristais e fizemos os sons, cantando e celebrando, depois vimos o mar inteiro ficar prateado, xxxx que tem mais de 40 anos de experiência em navegação alegou nunca ter presenciado algo parecido. A gratidão tomou conta de nossos corações.

 

"Ohooooooooooooooo! Alegria amiga."

                                                     (José Ricardo Azevedo, via FB)

 

"Nesta ilha tinha um altar estabelecido..."

                                                     (João Sampaio, via FB)

 

"Vamos um dia passear nela e brincar com as borboletas??" 

                                                                                       (Cintia Stern, via FB)

 

"Celestiais"

               (Débora Rocha)

Garganta
do
Gigante
A garganta do Gigante

Sábado...

Título do Projeto |02

Depois de ativado o Merkabah e os portais de Magave faltava mais um processo antes de subirmos a Pedra da Gávea, nela estão o chacra da coroa e o terceito olho do gigante. Se a Pedra Bonita, mais próxima do Monolito era o chacra cardíaco, onde estaria o laríngeo? Exatamente, nas fendas entre Pedra Bonita e Pedra da Gávea, é ali que se encontra o chacra laríngeo do gigante e lá fomos nós ativa-lo. Em uma manhã, saímos em um pequeno grupo, pela trilha, depois pela mata fechada. Era um momento delicado, boa parte do grupo havia se diluído em processos pessoais enquanto alguns de nossos guerreiros estavam fora da cidade avisando de nosso serviço para outros irmãos da América Latina, sem dúvidas algumas provações que precisavam ser enfrentadas para nosso aprendizado, as canalizações davam toda orientação e nos diziam apenas para confiarmos e seguirmos. Assim foi feito. Entramos pela mata fechada, ouvindo sons a nossa volta de gritos, galhos quebrando, pessoas andando, os seres do local se manifestavam com a nossa presença.O ponto para ativação havia sido marcado por GPS, que falhou quando entramos na mata, então seguimos a intuição e escolhemos o ponto, nesta hora o GPS voltou e confirmou, era aquele local. Fizemos a ativação, deixamos o cristal e bastou encerrarmos para vermos a nossa frente uma caverna com a forma de uma garganta. Era uma confirmação.

 

"A floresta toda brilhosa, iluminada...quanta luz!"

                                                                               (Elenir Mello)

Pedra
da
Gávea

 

Pedra da Gávea
Sábado...
14/06/2014 Ativação da Pedra Oca

A ativação da Pedra Gávea iniciou com a a colocação dos cristais para o Merkabah, e seria concluída quando chégassemos ao topo dela, que estava marcada para a lua cheia de 14/06/14. Neste dia nos dividimos em 5 grupos que ficaram em pontos diferentes para se conectar as 12hs na ativação dos espirais platina e dourado. Enquanto fízíamos a ativação no Rio de Janeiro um grupo estava reunido no Acre, dentro da floresta, um outro grupo na Espanha em Monte Serrat e outros irmãos que se comprometeram em estar conectados com a ativação em locais diferentes do Brasil e da América do Sul. Dos que estavam na Pedra da Gávea um ficou na base para ancorar a energia, um outro grupo ficou na Pedra Bonita em frente a face do imperador, outro na entrada da trilha que dá acesso para o alto da Pedra, um no portal que fomos informados que ficava antes da chegada no topo e mais um último grupo no topo da montanha exatamente em cima do local onde era o portal. Durante a subida muitas provações surgiram, como dúvidas e questionamentos que até então não havia se manifestado com tanta intensidade em nenhuma ativação, era a provação de fogo. Mas insistimos e ao meio dia fizemos a meditação e os sons. A voz saia com dificuldade e abelhas cercavam o local, cada grupo vivenciou experiências únicas. Na base antes da subida vimos inúmeros pontos prateados que voavam na direção do topo da pedra que não apareceram nas fotos que tiramos deles. As irmãs que estavam na entrada da trilha afirmaram ter sentido o chão tremer e depois foram rodeadas por macacos que brincavam em volta delas. Ao final nos reunimos na praia de São conrado e celebramos todos, compartilhando as experiências de cada grupo e individuais. Começavam as ativações.

 

"Eduardo meu filho,essa missão foi de grande importância para o equilíbrio do planeta e dos seres ligados a ele.Como dirigente de uma casa Espiritista agradeço a todos que participaram dessa missão (encarnados e desengarnados),meu amor e minha gratidão. Bjs e abraços fraternos."

                                                                 (Maria Izabel Zanfagnini, mãe de um dos participantes via FB)

 

 

 

Telefones

 




 

Siga-me

 

  • facebook

© 2014 por Unidade AtivaCor 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now
paodeacucar1.jpg